Loading...

Eles estão interligados ao software de gerenciamento do estacionamento rotativo e ao aplicativo utilizado pelo usuário

Estamos vivendo a era dos dados, isso tem o seu lado negativo (como já dizemos no post Dados pessoais – o que é e porque proteger), mas também tem seu lado positivo. Principalmente, quando falamos de smart cities, já que, eles são uma ferramenta importantíssima na tomada de decisões. É nesse cenário que entra os sensores de vagas de estacionamento rotativo.

Eles são pequenos dispositivos instalados sob o solo que permitem um monitoramento mais completo do uso do espaço. Assim, cada vaga se torna um “dispositivo IoT” (Internet das Coisas) e envia dados para um sistema. No caso, da solução desenvolvida pela Liquid Works, os sensores de vagas estão interligados ao software de gerenciamento do estacionamento rotativo e ao aplicativo utilizado pelo usuário. Dessa forma oferecendo vários benefícios:

Para as prefeituras:

– Permite uma gestão baseada em dados reais de fluxo de uso do estacionamento

– Colabora com a diminuição do congestionamento

– Reduz a emissão de CO2 e gases poluentes

Para os usuários:

– Permite localizar as vagas livres mais rapidamente

– Economia de combustível por não ficar “rodando” atrás de vagas

– Economia de tempo

Não é exagero afirmar que os sensores de vagas contribuem para um melhor fluxo do trânsito. Nesse sentido, um estudo feito pela empresa espanhola Urbiótica (líder do setor) mostra que 30% do tráfego é causado por veículos procurando vagas. Isso, sem contar o estresse provocado no motorista durante essa busca. Com os aplicativos desenvolvidos pela Liquid, em dois cliques você visualiza os locais disponíveis conforme a sua localização.

Sensores de Vagas no Brasil e no Mundo

Atualmente, diversas cidades onde a Liquid está presente contam com sensores de vagas. Entre elas algumas turísticas, como Blumenau, Gramado e Bento Gonçalves. Essa é uma experiência bem-sucedida replicada da Espanha, através da parceria com a empresa Rek Parking e Urbiotica.

Em Las Palmas de Gran Canaria, na Espanha, local que também recebe muitos turistas, foram instalados, primeiramente, 3 mil sensores de vagas. Nesse sentido, tinha como objetivo diminuir o engarrafamento e a poluição do ar. O resultado foi tão satisfatório, que foi expandido para mais 3 mil sensores, totalizando 6 mil. Assim também, outras cidades como Barcelona (Espanha), Viena (Áustria) e Nice (França) contam com dispositivos instalados pela Urbiotica.

Os sensores de vagas também podem contribuir para a precificação dinâmica. Esse foi o caso de Los Angeles, uma das cidades pioneiras nisso, que instalou 6 mil sensores em 800 ruas. Com os dados coletados foi possível ver quais vagas eram mais procuradas e quais horários. Como resultado, 27% delas sofreu aumento de preço e 60% redução. A contribuição para a melhoria do trânsito foi de 10% segundo dados oficiais da cidade.

Melhorar a qualidade de vida das pessoas e cidades é um dos compromissos da Liquid. Por isso, sempre estamos desenvolvendo soluções que agreguem facilidade para o dia a dia.